quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Sabia que... (Partituras)

Sabia que…

Contam parte da História da Música de Penafiel vários maços de partituras que se encontram na Igreja da Ordem Terceira do Carmo? Nesses maços (cota PT/VOTC/B/C/004), datados do século XIX e XX, encontramos, por exemplo, a trans...crição de um dueto da ópera “Macbeth” de Giuseppe Verdi; um arranjo da ópera homónima mas para banda filarmónica; música litúrgica, nomeadamente, uma “Missa de Nossa Senhora do Carmo”, datada de 1880, uma “Ladainha de Nossa Senhora”, uma “Novena de Nossa Senhora do Carmo” num arranjo feito por J. M. Cardozo ou, ainda, “Da Novena para Nossa Senhora do Carmo”, reformada, como consta, “no dia 7 de Julho de 1853 por António Baptista da Suécia”. Saliento, como curiosidade, que os instrumentos de percussão aparecem referidos nalguns desses arranjos com a designação de “pancadaria”.
Referência, no inventário de 1819 à existência de "Hum órgão pintado"
Estas partituras estão intimamente ligadas à prática musical que se fazia em tempos recuados no coro-alto da dita igreja, espaço onde ainda hoje se encontra um órgão de ignoto mestre e oficina, restaurado em 1819 – como nos revela uma inscrição no seu interior - e que carece hoje de um aturado restauro. De sublinhar também a intensa relação que as partituras terão tido com o coreto localizado no recinto intramuros que no século XIX recebia agrupamentos musicais incluindo bandas filarmónicas com uma constituição um pouco diferente daquela a que estamos habituados a ver e a ouvir hoje.
Pormenor de arranjo de Macbeth para saxofone
Por fim, estes testemunhos vivos que são as partituras e o órgão contam ainda com algumas notas de despesa oitocentistas e novecentistas onde se podem ler inúmeras referências a festas; aos gastos com músicos que abrilhantavam as festas; a cantores destacados para o ofício da missa; ao “transporte do harmónio do Porto para Penafiel” a 21 de Julho de 1963 por 25 escudos; à “reparação do órgão” a 31 de Julho de 1983 por 4.000; ao “ aluguer de harmónio” por 140; a vários gastos registados num caderno de despesa da Igreja, datado de 1819, com gastos referentes a “cornetas”, “tambores”, “música militar”, “padre cantochão”.
Rosto de partitura para violino "Da Novena de Nossa Senhora do Carmo"
As partituras carecem ser transcritas para notação moderna para que possam vir a ser tocadas e ouvidas porque são notas que denunciam uma intensa história da música por revelar na cidade de Penafiel.

Elaborado por Sónia Duarte







Sem comentários:

Publicar um comentário