sexta-feira, 31 de março de 2017


            Martim Peres, cavaleiro e fidalgo, ocupa um lugar de destaque na história de Boelhe, no período da reconquista que, montando o seu cavalo e empunhando a espada, lutou com todas as suas forças e bravura, para a libertação das terras que fazem parte da freguesia de Boelhe, libertando-as do domínio muçulmano.
D. Sancho I, como reconhecimento dos feitos de Martim Peres na peleja da reconquista, doou-lhe muitas terras no lugar de Boelhe, Souto, Estremadouro, Bairros, Tapada e Améla, isentando-as de foros, onde os cobradores do estado, lá tinham entrada, tornando-o cavaleiro honrado, razão pela qual, ter existido uma honra em Boelhe.
 
Cf. SOARES, João. Boelhe.
Notícias de Penafiel, Penafiel, 5 de agosto. 2016. Edição n.º14. p.11.
 

 

Sem comentários:

Publicar um comentário