terça-feira, 11 de julho de 2017

Confraria do Santíssimo Sacramento
Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.             Surge na matriz de Penafiel, no século XVI, na capela do Espírito Santo.
O desconhecimento do seu arquivo, importantíssimo para a história desta localidade, não nos permite grandes conclusões.
Contudo, através de um livro da confraria, existente no Arquivo Municipal, e dos estudos de Coriolano de Freitas Beça, conseguimos apontar a sua fundação para meados da centúria de quinhentos, coincidindo com a transferência de paróquia para esta igreja.
Assim, segundo o livro “Breve instrução para os administradores da Confraria do santíssimo Sacramento da Cidade de Penafiel”, esta teria sido instituída na década de quarenta, da centúria de quinhentos, logo a seguir à primeira instituição da Confraria do Santíssimo Sacramento, em Roma, em 1539. Nos “apontamentos históricos de Penafiel”, existente no Arquivo Municipal, também se refere a fundação desta confraria em 1540.
Em 1610 teriam sido reformados os seus estatutos. Era administrada por doze homens eleitos, que tinham vigência vitalícia sobre a mesma, devendo ser escolhidos “entre os principais da terra”. Só à morte de cada um deles é que se procedia à eleição do seu substituto. Para tal, o juiz convocava a mesa para se provir à escola do individuo que iria ocupar o lugar vago. Para esse fim, o dito juiz nomeava três pessoas das “principais da confraria” e realizava-se a eleição. Ficaria no lugar, aquele que tivesse mais votos, sendo estes feitos por favas brancas e pretas. No caso de haver empate, ao juiz caberia o escrutínio entre os candidatos empatados.
Apesar do livro da confraria, hoje depositado no Arquivo Municipal de Penafiel, nos apontar a sua criação ainda na igreja do Espírito Santo, na década de 40, do século XVI e, portanto, anterior à transferência de paróquia, o livro do registo de irmandades e confrarias do concelho, datado de 1864, coloca-a como tendo sido instituída em 1610, sendo os seus estatutos aprovados em novembro de 1611.
A importância dos cartórios destas confrarias é enorme para o estudo da morte, da religiosidade e da história da própria cidade de Penafiel. Assim, se alguém tiver conhecimento do arquivo da dita confraria, por favor, ajude-nos a salvar a memória da cidade.



         Cf. Fernandes, Paula Sofia Costa – O hospital e a botica da misericórdia de Penafiel (1600-1850). Penafiel: Santa Casa da Misericórdia de Penafiel, 2016, p. 34-35.
   Imagens do livro da Confraria do Santíssimo Sacramento, cota: PT/CMPNF/AMPNF/AL/C.SS.S./LV.01.
Foto de Amigos do Arquivo de Penafiel.

Sem comentários:

Publicar um comentário