sábado, 15 de abril de 2017

Amigos do Arquivo de Penafiel
Freguesia de Luzim
           
              De acordo com António de Sousa e Ferreira Coelho, “Luzim é freguesia e serra. Que Luzim é o genitivo de Lucidi, de Lucidius, nome romanizado em Lucidio, o qual, por sua vez, é o étimo de Lusio”.
Este nome surge documentado em Diplomatae et Chatae “nas formas Lusidi, com as variantes, Losii, e Lusidii”. Assim, existem todas as condições para considerar o nome desta freguesia, como originária de nome pessoal da época asturiana, não apenas por se encontrar documentada a sua existência, mas também por reunir outros elementos nucleares, nomeadamente a terminação em “i”, antigo genitivo da segunda declinação. Nomes e pessoas formadas deste modo. É certo encontrar-se já nas inscrições do período romano, que abundam sobretudo nas assinaturas diplomáticas. Se esta maneira foi de emprego comum no domínio romano, o uso do genitivo entre os asturolenses, prender-se-á a um costume remoto: de qualquer maneira, foi ele que produziu na maioria as designações locais que chegaram á atualidade. Estes personagens neogodes denominam não só prédios, mas também montes, extensos territórios e monumentos pré-históricos.
 
Cf. SOARES, João. Freguesia de Luzim. Notícias de Penafiel, Penafiel, 23 de setembro. 2016. Edição n.º19. p.12.
 

 

Sem comentários:

Publicar um comentário