sábado, 5 de agosto de 2017

Quem foram os beneméritos da Misericórdia 
de Penafiel entre 1600 e 1900?

     A maior parte era do sexo masculino. Tal deve-se a vários fatores, por um lado, estes eram os administradores dos bens do casal, por outro lado, muitos destes homens eram solteiros, não deixando filhos legítimos, amealharam bens consideráveis, muitas vezes, na América, onde deixaram filhos naturais de suas escravas, vivendo muitas dificuldades, querendo ser lembrados na sua terra de origem por toda a ete...rnidade.
As mulheres, geralmente, confiavam nos seus maridos ou filhos para zelarem pelas suas almas, após a sua morte.
Dos homens que instituíram legados na Misericórdia de Penafiel, 22% deles eram homens da igreja. Os restantes dividiam-se por comerciantes, mercadores, membros do exército, essencialmente, capitães-mor, licenciados, proprietários rurais e mestres de ofícios.
No que respeita à naturalidade destes indivíduos, verificamos que cerca de metade dos mesmos eram de localidades que hoje em dia correspondem ao concelho de Penafiel, essencialmente, da cidade.
No entanto, a Misericórdia de Penafiel possuía um poder de atração de legados que extravasava esta área, estendendo-se por Paredes, Lousada, Marco de Canaveses, Felgueiras e até mesmo do Porto.

     Cf. Fernandes, Sofia – “Aliciar as almas e os corpos através da transmissão de bens para a Misericórdia de Penafiel: legados pios, contratos entre vivos e doações”, in Araújo, Maria Marta Lobo de – A intemporalidade da Misericórdia – As Santas Casas portuguesas: espaços e tempos. Braga: Santa Casa da Misericórdia de Braga, 2016. P. 26-27.

Sem comentários:

Publicar um comentário